quinta-feira, 9 de janeiro de 2014

Confissões num momento de crise

Meu ano de 2013 foi pra lá de estranho e difícil. Fiquei com uma paralisia facial muito preocupante, e assim que me recuperei eu fui demitido (isso foi no término de março e começo de abril). Não vejo o Bruno desde janeiro do  ano passado, e isso tem me doído tanto sabia? É difícil viver na situação que eu vivo. Requer muito peito pra enfrentar.

Não vou entrar muito no mérito da questão, mas neste último ano a minha família passou por 3 mortes: minha tia-avó, meu primo e minha avó. Isso foi uma apunhalada pra família, mas agora seguimos adiante e vamos sobrevivendo.

Começando o ano de 2014, eu vivi uma situação muito desagradável (pelo menos pra mim): uma conversa muito séria que eu tive com a minha família. Ser sabatinado por todos os lados definitivamente não é legal, mas serviu de algo (que me tirou um peso enoooorme da consciência): contei toda a verdade sobre as coisas que tenho passado. Eu assumi diante da  minha família o meu relacionamento com o Bruno. Ainda assim, encontramos dificuldades, mas com certeza foi uma barreira vencida.

Nenhum comentário:

Postar um comentário